Ethanol Summit 2009

Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

> English

Notícias

Setor químico aposta cada vez mais na produção de plástico de etanol
02/06/2009

Cada vez mais empresas multinacionais apostam na produção sustentável do polietileno, o plástico mais consumido do mundo. A indústria química vem gradativamente substituindo a matéria-prima fóssil empregada na produção, por fontes renováveis, como é o caso do etanol de cana-de-açúcar.  O tema foi abordado nesta terça-feira (02/06/2009), no segundo dia Ethanol Summit 2009, durante a realização do painel “Plásticos Verdes: Nova Fronteira do Etanol”,  que reuniu o presidente da Braskem, Bernardo Gradin, e os diretores das empresas DOW Rohm and Hass e PHB industrial, Diego Donoso e Sylvio Ortega Filho, respectivamente.

“Para cada quilo de plástico renovável que produzimos, evitamos a emissão de 2,5 quilos de CO2 na atmosfera, considerando toda a cadeia de produção, desde a plantação da cana até a fabricação do polietileno verde.”, destaca o CEO da Braskem. Além disso, segundo Gradin, outra grande vantagem é a de que o produto pode ser reciclado.

Segundo o executivo da empresa, o plástico renovável está despertando interesse de corporações globais em áreas como as de alimentos, cosméticos, higiene e limpeza. Gradin revelou que a meta da Brasken para 2010 é produzir 200 mil toneladas de plástico “verde” por ano, o que exigirá a utilização de 450 milhões de litros de etanol.

De acordo com Diego Donoso, da DOW Rohm and Hass, além de ser 100% reciclável, o plástico feito de etanol também pode ser convertido em diesel. “Existe um imenso potencial energético nos lixões das grandes cidades”, observa. Mesmo sendo líder mundial na produção de polietileno verde, a DOW Rohm and Hass quer inovar ainda mais. “Estamos investindo para na fabricação de plásticos “verdes” mais flexíveis, produzindo embalagens maleáveis, como por exemplo, pacotes de fraldas e xampus.”, observa.

A evolução tecnológica também vem possibilitando transformar açúcar em polihidroxibutirato (PHB), um plástico que além de reciclável também é biodegradável. É o que já vem fazendo a PHB Industrial, empresa especializada na produção e transformação de biomassa em produtos para a indústria química. Ligada à usina da Pedra, associada da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), a PHB mantém uma unidade sediada em Serrana, no interior do Estado de São Paulo, onde são produzidas 50 toneladas de PHB por ano. “Este número deverá crescer para 36 mil toneladas/ano até 2011” ressalta o diretor da empresa, Sylvio Ortega.


voltar

Arquivo


09/06/2009 Castroneves vence 500 Milhas de Indianápolis com etanol de cana
05/06/2009 “Até 2011!”
05/06/2009 Ethanol Summit homenageia personalidades
04/06/2009 A busca de equilíbrio nos processos de certificação
04/06/2009 Painel do Summit rechaça o mito de que biocombustível afeta produção de alimentos
   Realização:

Copyright 2008 - Ethanol summit - todos os direitos reservados. Resolução mínima recomendada 1024x768 pixels.

Política de Privacidade - Saiba como fazer sua inscrição

  • Patrocínio
  • Plenária Especial
  • Transportadoras Oficiais
  • Apoio
  • Parceria
  • Realização